Saúde

Ministério da Saúde diz que negocia compra de 70 milhões de doses de vacina da Pfizer

Anúncio acontece logo após o governo de São Paulo divulgar plano de vacinação

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

Após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciar na segunda-feira 7 que a vacinação no estado começa em janeiro, o Ministério da Saúde informou que avançou na negociação de 70 milhões de doses de imunizante contra a Covid-19 desenvolvido pela farmacêutica americana Pfizer e a alemã BioNTech.

 

“Os termos já estão bem avançados e devem ser finalizados ainda no início desta semana com a assinatura do memorando de intenção”, disse o ministério, sem dar detalhes de quando a vacina poderá começar a ser aplicada no País.

O documento não obriga o Brasil a adquirir a vacina desenvolvida pelas duas farmacêuticas, uma das primeiras no mundo a apresentar resultados positivos de seus estudos.

A gestão de Jair Bolsonaro anunciou na semana passada que previa iniciar a vacinação só em março, o que motivou críticas. O Reino Unido começou a vacinação nesta terça-feira 8 e alguns outros países já anunciaram que vão começar ainda neste mês.

Oxford 

O governo têm apostado na vacina da Universidade de Oxford, que tem parceria com a Fiocruz (100,4 milhões de doses). Mas os cientistas admitiram erros e a necessidade de ampliar testes para medir a eficácia, o que deve atrasar o registro.

Nas redes sociais, Bolsonaro disse que irá imunizar toda a população de graça e sem obrigatoriedade, horas após o anuncio de Doria.

“Em havendo certificação da Anvisa (orientações científicas e os preceitos legais) o governo brasileiro ofertará a vacina a toda a população de forma gratuita e não obrigatória. Segundo o Ministério da Economia não faltarão recursos para que todos sejam atendidos. Saúde e Economia de mãos dadas pela vida”, afirmou ele, em texto publicado ao lado de foto com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

Com informação do Estado de S. Paulo.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.