Saúde

Mandetta diz que ‘combate continua independente de quem assuma’

Ministro da Saúde disse que troca na titularidade da pasta deve acontecer ‘entre hoje e amanhã’

Luiz Henrique Mandetta (Foto: Marcello Casal Jr /  Agência Brasil)
Luiz Henrique Mandetta (Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil)

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse nesta quinta-feira 16 que o combate ao coronavírus no Brasil vai continuar independente de quem assuma o cargo. Ao participar de um debate online promovido pela Iniciativa FIS (Fórum Inovação Saúde), Mandetta disse também que a troca na pasta deve acontecer “hoje ou amanhã”.

Ele mesmo já confirmou a saída do Ministério da Saúde. Em entrevista à revista Veja nesta quarta-feira 15, Mandetta disse que fica no cargo até acharem outro nome e que se compromete em ajudar o novo ministro. Mas deixou claro que está cansado da crise política que se formou entre ele e o presidente Jair Bolsonaro.

“São 60 dias nessa batalha. Isso cansa! Sessenta dias tendo de medir palavras. Você conversa hoje, a pessoa entende, diz que concorda, depois muda de ideia e fala tudo diferente. Você vai, conversa, parece que está tudo acertado e, em seguida, o camarada muda o discurso de novo. Já chega, né? Já ajudamos bastante”, afirmou Mandetta.

 

Ao longo do debate, Mandetta falou sobre a equipe que escolheu para o ministério, exaltando as características técnicas dos integrantes. “Eu sou a peça menor dessa engrenagem, escolhi muito bem a minha equipe”, disse. E voltou a falar das divergências com o presidente Jair Bolsonaro. “Nós não sabemos ainda todos os efeitos [do vírus]. Não sabemos nem quem será o ministro da Saúde amanhã”, disse o ainda ministro.

Assista ao debate que reuniu ainda especialistas e lideranças da Secretaria da Saúde do Estado do Rio de Janeiro, Fiocruz, UFF, UFRJ e Academia Nacional de Medicina:

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!