Internações por Covid-19 aumentam em 79% da rede particular de SP

Taxa de ocupação de leitos de UTI para coronavírus chega a 84%

Go Nakamura/Getty Images/AFP

Go Nakamura/Getty Images/AFP

Saúde

Nas últimas duas semanas, oito em cada dez hospitais e clínicas privadas do estado de São Paulo teve um aumento das internações por Covid-19. É o que mostra uma pesquisa do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (SindHosp), com base em dados de 83 hospitais em 17 regiões do estado.

 

 

Ainda de acordo com o levantamento, a taxa média de ocupação de leitos de UTI pela doença nesses hospitais chega a 84%. O mapeamento foi feito entre os dias 23 e 26 de novembro,

Nesta segunda-feira 30, o governador João Doria (PSDB) anunciou que São Paulo voltará à fase amarela do plano de combate ao novo coronavírus.

“Com o claro aumento da instabilidade da pandemia, o governo e o centro de contingência da covid-19, decidiram que 100% do Estado de São Paulo vai retornar para a fase amarela do Plano São Paulo. Essa medida, quero deixar claro, não fecha comércio, nem bares, nem restaurantes. A fase amarela não fecha atividades econômicas, mas é mais restritiva nas medidas para evitar aglomerações e o aumento do contágio da Covid-19”, disse o governador.

De acordo com o governador, as medidas restritivas tem foco em bares, restaurantes e cinemas. As escolas particulares e públicas – abertas desde os meses de setembro e outubro – continuam em funcionamento.

 

O que muda. Foto: Reprodução

A decisão foi anunciada um dia após as eleições municipais de 2020, que se encerraram no último domingo 29. Antes de regredir para a fase amarela, seis das 17 regiões do Estado estavam na fase verde do Plano SP.

Com a medida, seis regiões que estavam na fase verde, a menos restritiva, entre elas a capital paulista, regridem e devem voltar a reduzir o funcionamento de comércios e serviços.

As demais 11 regiões, que já estavam na fase amarela, não avançam e seguem no mesmo estágio.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem