EUA anuncia o fim das restrições de entrada para vacinados

A partir de novembro, o país abrirá fronteiras a visitantes que estejam imunizados e se submetam a testes e rastreamento de contatos

(Foto: Brandon Bell / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

(Foto: Brandon Bell / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP)

Mundo,Saúde

Os Estados Unidos anunciaram, nesta segunda-feira 20, que vão levantar em novembro as restrições de entrada no país pela pandemia de Covid-19 para todos aqueles que estejam vacinados e se submetam a testes e rastreamento de contatos.

Jeffrey Zients, coordenador da resposta ao coronavírus do governo do presidente Joe Biden, disse à imprensa que a medida entrará em vigor “no início de novembro”.

A flexibilização das restrições de viagem, impostas há 18 meses por Donald Trump quando começou a pandemia de coronavírus, marca uma mudança significativa por parte de Biden e responde a uma grande demanda dos aliados europeus em um momento de relações diplomáticas tensas.

O anúncio ocorre em um contexto de grande tensão entre Washington e Paris, após uma aliança estratégica entre Estados Unidos, Reino Unido e Austrália, que arruinou um acordo de venda de submarinos da França a este último país.

 

As fronteiras dos Estados Unidos estão fechadas para milhões de viajantes internacionais, inclusive para os vacinados, desde março de 2020, o que causa dolorosas situações pessoais e familiares, assim como uma crescente impaciência particularmente entre os europeus.

A União Europeia (UE) anunciou em 30 de agosto o retorno das restrições às viagens não essenciais ao seu território a partir dos Estados Unidos, embora tenha deixado aos Estados-membros a possibilidade de levantarem a proibição para as pessoas totalmente vacinadas.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem