Contra desinformação, redes sociais derrubam posts de bolsonaristas

YouTube apagou vídeo do escritor Olavo de Carvalho, que disse que pandemia do coronavírus 'não existe'

O escritor Olavo de Carvalho. Foto: Reprodução

O escritor Olavo de Carvalho. Foto: Reprodução

Política,Saúde

O YouTube retirou do ar o vídeo em que o escritor Olavo de Carvalho menosprezou a existência da pandemia do novo coronavírus no mundo. No mundo, são cerca de 350 mil pessoas infectadas e 15 mil mortes.

O vídeo havia sido compartilhado pelo próprio Olavo de Carvalho em sua conta no Twitter. No entanto, a plataforma escreveu que “o vídeo foi removido por violar as diretrizes da comunidade do YouTube”.

O YouTube informa que está combatendo informações falsas sobre o coronavírus, destacando fontes oficiais na pesquisa e nas recomendações e exibindo painéis de informações que direcionam usuários a fontes locais relevantes, como a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A empresa também diz que seguirá retirando do ar os vídeos que violem suas políticas assim que eles forem sinalizados.

“Isso inclui o conteúdo que incentiva as pessoas a não procurarem tratamento médico ou que afirmem que substâncias nocivas podem ser benéficas à saúde. É essencial encontrar conteúdo de confiança nesse momento”, escreve o YouTube, na página em que reporta suas ações em relação à pandemia.

O Twitter também agiu contra a disseminação de informações falsas e apagou publicações do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e do senador Flávio Bolsonaro.

Em 22 de março, Salles publicou um vídeo desatualizado do médico Drauzio Varella. A equipe do portal de Drauzio Varella chegou a insistir para que o ministro apagasse o vídeo, publicado originalmente em janeiro, quando o Brasil ainda não tinha casos confirmados de coronavírus. O médico, na época, dizia que levava a vida normalmente.

Drauzio Varella foi ao programa Fantástico, da TV Globo, e se queixou de pessoas “mal intencionadas” que resgataram seu vídeo antigo para defender que não era preciso sair de casa para evitar a infecção. Agora, o Twitter apagou posts e inseriu, no lugar de cada um, uma mensagem em que diz que a postagem “não está mais disponível porque violou as regras do Twitter”.

Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil tem 1.891 casos de coronavírus e 34 mortes.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem