Butantan anuncia produção de 8,6 milhões novas doses da Coronavac

A previsão é que as novas doses contra a Covid-19 sejam liberadas a partir de 23 de fevereiro

Divulgação/Instituto Butantan

Divulgação/Instituto Butantan

Saúde

O Instituto Butantan anunciou neste sábado 6 a produção de 8,6 milhões de novas doses da Coronavac a partir dos insumos que chegaram à São Paulo na quarta-feira 3. A previsão é que as novas doses contra a Covid-19 sejam liberadas a partir de 23 de fevereiro.

 

 

O Butantan explicou que os 5.400 litros da matéria-prima IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) passarão por envase, rotulagem, embalagem e rigoroso processo de inspeção para controle da qualidade das ampolas.

Para a quarta-feira 10 está prevista a chegada de mais 5.600 litros de IFA que deve originar mais 8,7 milhões de doses do imunizante.

O órgão ainda disse que, além disso, estão em fase de negociação a liberação de outros 8 mil litros de matéria-prima pela farmacêutica chinesa.

“Até 31 de janeiro, conforme cronograma estabelecido com o contrato com o Ministério da Saúde, foram entregues 8,7 milhões de vacinas do Butantan para imunização dos brasileiros, das quais 6 milhões foram enviadas em 17/1, 900 mil em 22/1 e 1,8 milhão em 29/1. Nesta sexta-feira, dia 5/2, foram liberadas mais 1,8 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério), totalizando 9,8 milhões já entregues pelo Governo de São Paulo ao país”, afirmou o comunicado deste sábado do Butantan.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem