Argentina começa a vacinação contra a Covid-19

Governo utiliza 300 mil doses da vacina russa Sputnik V

Foto: AFP

Foto: AFP

Mundo,Saúde

A campanha de vacinação contra a Covid-19 começou nesta terça-feira 29 na Argentina, onde o novo coronavírus causou 42.501 mortes e quase 1,6 milhão de casos.

 

 

O governo utiliza as 300.000 doses que chegaram ao país da Sputnik V, do laboratório russo Gamaleya, uma das duas vacinas aprovadas juntamente com a elaborada pelo laboratório americano Pfizer. Os primeiros a serem vacinados serão os profissionais de saúde.

“A ideia é que quando o outono chegar, tenhamos vacinado a maior quantidade das pessoas de risco”, disse o presidente Alberto Fernández, segundo a informação oficial.

 

 

A decisão de iniciar a imunização foi acordada durante reunião por videoconferência entre Fernández e governadores das províncias no último sábado.

A Argentina também assinou acordos de fornecimento de vacinas com a Universidade de Oxford, associada à farmacêutica AstraZeneca, e com o mecanismo Covax, da Organização Mundial da Saúde (OMS), enquanto negocia o envio do fármaco produzido pela Pfizer.

O distanciamento social obrigatório é adotado no país desde 9 de novembro, quando foi suspenso o isolamento que esteve em vigor desde 20 de março.

 

*Com informações da AFP

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem