Política

YouTube retira vídeo de Bolsonaro do ar por violação de regras

No vídeo, o presidente crítica seu indiciamento pela CPI da Covid, ataca Barroso e acusa, sem provas, fraude no processo eleitoral

O presidente Jair Bolsonaro (PL), durante entrevista à Rádio Jovem Pan Maringá. Foto: Reprodução
O presidente Jair Bolsonaro (PL), durante entrevista à Rádio Jovem Pan Maringá. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O YouTube Brasil tirou do ar um vídeo do presidente Jair Bolsonaro (PL) por supostente violar as regras da plataforma. O site declarou, em nota, que está removendo conteúdos com “desinformação eleitoral” e “desinformação médica sobre Covid-19”.

O vídeo de 54 minutos foi publicado em 12 de agosto de 2021, uma quinta-feira. Na ocasião, ele dava uma entrevista direto do Palácio do Planalto à Rádio Jovem Pan de Maringá, no Paraná.

O ex-capitão havia criticado a recomendação do seu indiciamento no relatório da CPI da Covid-19 pelos crimes de curandeirismo, charlatanismo e divulgação de propaganda enganosa.

O presidente também havia levantado suspeitas de fraude no sistema eleitoral brasileiro, sem apresentar provas, e aproveitou para defender a instituição do voto impresso na eleição de 2022.

Houve também acusações ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, por suposta defesa de pautas imorais na atuação como magistrado.

De acordo com a plataforma de dados Novelo Data, é o 35º vídeo de Bolsonaro retirado do ar pelo YouTube. A suspensão foi registrada na noite da quarta-feira 13.

O arquivo ainda pode ser encontrado no Facebook.

Veja nota do YouTube Brasil na íntegra

O YouTube tem elaborado um sólido conjunto de políticas e sistemas — incluindo a Política de Integridade Eleitoral e Supressão de Eleitores, atualizada recentemente — para dar visibilidade a conteúdo confiável, reduzir a disseminação de informações enganosas e  permitindo, ao mesmo tempo, a realização do debate político. 

Todos os conteúdos no YouTube precisam seguir nossas Diretrizes de Comunidade. Além de uma combinação de inteligência de máquina e revisores humanos, também contamos com  denúncias de usuários para identificar materiais com conteúdo suspeito e manter a comunidade da plataforma segura. 

Qualquer pessoa que acredite ter encontrado um conteúdo no YouTube em desacordo com as nossas regras pode fazer uma denúncia e, se a equipe de análise identificar violações às diretrizes de comunidade, que proíbem, por exemplo, conteúdos com desinformação eleitoral e desinformação médica sobre COVID-19, o vídeo será removido e o canal penalizado, de acordo com a nossa política de avisos. Se um usuário encontrar um conteúdo que parece violar nossas políticas de desinformação, ele pode denunciá-lo como ‘Spam ou enganoso’. É possível encontrar mais informações sobre como denunciar um conteúdo inadequado no YouTube em nossa central de ajuda.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.