Witzel sobre vídeo anti-Congresso: “Resposta jurídica é o impeachment”

'Quer fazer [manifestação] em caráter privado? Renuncie à Presidência da República e pode fazer', disse Witzel sobre ato de Bolsonaro

Governador Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, em evento na capital americana Washington - Foto: Rogério Santana

Governador Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, em evento na capital americana Washington - Foto: Rogério Santana

Política

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, comentou nesta nesta quinta-feita 27 a decisão do presidente Jair Bolsonaro em compartilhar, via WhatsApp, um vídeo convocando apoiadores para ato contra o Congresso. Para ele, a manifestação é uma “afronta à Constituição” e que uma “resposta jurídica para isso [o compartilhamento pelo presidente] é o impeachment”. As declarações foram dadas durante um evento em Washington, nos Estados Unidos, e repercutidas pelos jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo.

“Quer fazer [manifestação] em caráter privado? Renuncie à Presidência da República e pode fazer. Enquanto ele [Bolsonaro] for presidente, o que ele fala, o que ele faz, o que ele comunica, para quem quer que seja, é uma comunicação do presidente da República e nós não podemos aceitar que um presidente da República, diante de um movimento destrutivo da democracia, compartilhe esse tipo de vídeo”, afirmou.

O disparo do vídeo sobre os atos programados contra o Congresso, feito a partir de um celular particular do presidente da República, foi revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo. À época, Bolsonaro não negou a atitude e disse que “troca mensagens de cunho pessoal, de forma reservada” com “algumas dezenas de amigos”. “Qualquer ilação fora deste contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República”, decretou o presidente, em publicação nas redes sociais.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem