Política

Witzel se diz vítima de ‘linchamento político’ após decisão da Alerj

Governador afastado afirma que tem confiança em ‘um julgamento justo’

FOTO: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL
FOTO: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL
Apoie Siga-nos no

O governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi às redes sociais nesta quinta-feira 17 para se pronunciar sobre a decisão da Comissão Especial da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) de dar continuidade ao seu processo de impeachment. Witzel se diz vítima de um “linchamento político”.

“Combati o crime organizado e a corrupção, que tentou se instalar no meu governo. Eu determinei a investigação dos contratos da Saúde e afastei os suspeitos. O linchamento político do qual tenho sido vítima deixará marcas profundas no RJ”, escreveu o governador afastado, minutos após a Alerj aprovar por 24 votos a 0 o relatório pela sequência do processo.

Witzel afirmou ainda que, apesar disso, recebe com “respeito e tranquilidade a decisão da comissão da Alerj”. Ele prometeu fazer, além da defesa por escrito, uma “defesa presencial, demonstrando que não cometi crime de responsabilidade. Tenho confiança em um julgamento justo”.

O próximo passo, após a aprovação do relatório pela comissão especial, será a análise do processo pelo plenário da Alerj na semana que vem. Nesta sexta-feira 18, o Diário Oficial publicará o resultado da votação do relatório.

Witzel é acusado de chefiar um esquema de desvio de verbas da Saúde no período da pandemia do novo coronavírus. Nesta semana, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou o governador afastado por organização criminosa. Quem exerce o posto de forma interina é o seu vice, Cláudio Castro.

Leonardo Miazzo

Leonardo Miazzo
Editor do site de CartaCapital. Twitter: @leomiazzo

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.