…

Wilson Witzel é eleito governador do Rio de Janeiro

Política

Wilson Witzel é eleito governador do Rio de Janeiro, pelo PSC, com 59,87% dos votos válidos. Em uma disputa acirrada, ele deixou para trás o concorrente e ex-prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, do DEM, que teve 40,13% dos votos válidos. 

Witzel foi um candidato outsider, nunca havia concorrido a um cargo político antes. Ele é um ex-juiz federal, que disparou nas pesquisas de intenção de voto após declarar apoio ao candidato à presidência Jair Bolsonaro, do PSL, pouco antes do primeiro turno. 

No início do mês Witzel esteve envolvido em uma violência contra a memória de Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em março deste ano. Um placa com um adesivo com seu nome, em homenagem sua homenagem, em um logradouro na Cinelândia, foi resgada pelos parlamentares Daniel Silveira e Rodrigo Amorim, do PSL. Na imagem, ao lado dos responsáveis, está Wilson Witzel. 

Witzel atuou em varas criminais do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Ele defende a adoção de um “modelo da Lava Jato” na criação de forças-tarefas para investigar a milícia e o tráfico de drogas.

Ele também é a favor da criação de mais escolas militares, já declarou que deseja extinguir a Secretaria de Segurança Pública do RJ e, em seu plano de governo, defende a “autorização para abate de criminosos portando armas de uso exclusivo das Forças Armadas”. 

Neste mês, em entrevista ao RJTV, ele afirmou: “Quem está de fuzil na mão está pronto para disparar contra quem quer que seja e coloca em risco a sociedade. Por isso, tem que ser abatido”. 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem