Um dia após denunciar ameaça, cabo eleitoral é assassinada na Baixada Fluminense

'Não adianta me ameaçarem de morte', disse a vítima em vídeo gravado na quinta-feira 29 em frente ao prédio da PF

Renata Castro foi morta a tiros na frente de casa. Créditos: Reprodução/Rede Sociais

Renata Castro foi morta a tiros na frente de casa. Créditos: Reprodução/Rede Sociais

Política

Um dia após registrar uma denúncia de corrupção na área de saúde pública em Magé (Baixada Fluminense) e afirmar, em um vídeo, que havia recebido ameaças de morte, uma cabo eleitoral foi assassinada a tiros na porta de casa na manhã desta sexta-feira 30. Renata Castro, de 40 anos, fazia campanha para Renato Cozzolino, deputado estadual e candidato a prefeito do município da Baixada Fluminense pelo PP.

 

 

Segundo a Polícia Civil, ela estava na porta de casa, na rua Florêncio Vidal, no bairro Fragoso, quando atiradores passaram de carro e dispararam pelo menos 15 tiros. Ela morreu na hora. Os atiradores fugiram e até a tarde desta sexta-feira, não haviam sido identificados. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense, mas a Polícia Federal e a Justiça Eleitoral também acompanham o caso, para avaliar se houve conotação política.

No vídeo, gravado na quinta-feira, 29, em frente ao prédio da Polícia Federal em Magé, Renata afirmou: “Não adianta me ameaçarem de morte. Hoje (ontem), teve dois cidadãos que foram no prédio me ameaçar, me coagir. O que eu fiz ontem eu vou fazer amanhã, vou fazer depois de amanhã. Mais uma denúncia aqui na Polícia Federal”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem