…

Temer é pior que Dilma para 41%, mostra pesquisa

Política

A pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira 31 pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que 41% dos brasileiros avaliam o governo de Michel Temer (PMDB) como pior que o de Dilma Rousseff (PT), alvo de um processo de impeachment no ano passado.

O número supera os 38% que avaliam os dois governos como iguais e os 18% que acham o governo Temer melhor. É a primeira vez que a quantidade de entrevistados para os quais Temer é pior que Dilma supera o número de eleitores para os quais os governos são iguais.

Em dezembro, na rodada anterior do levantamento, 38% avaliavam os governos como iguais e 34% achavam Temer pior que Dilma.

A mesma pesquisa mostra que avaliação positiva do governo Temer chegou em março a uma patamar tão baixo quanto o experimentado por Dilma Rousseff em seu segundo mandato. Dilma teve 12% de avaliação boa ou ótima em março de 2015, que chegou a 9% em dezembro daquele ano e 10% em março de 2016, um mês antes de a petista ser afastada provisoriamente do cargo pela Câmara.

Temer tinha 13% de ótimo / bom quando era presidente provisório em junho de 2016, manteve esse patamar em dezembro passado e agora foi a 10%.

O peemedebista supera sua sucessora no quesito avaliação negativa. Entre junho de 2015 e março de 2016, a quantidade de eleitores que avaliava o governo como ruim ou péssimo oscilou entre 68% e 70%. Temer está atualmente em seu pior momento, com 55% de avaliação negativa.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem