Política

Substituta de Moro determina prisão de José Dirceu

A juíza Gabriela Hardt exigiu que o ex-ministro apresente-se à carceragem da PF nesta sexta-feira 18 A juíza Gabriela Hardt, substituta do juiz Sérgio Moro na 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou a prisão do ex-ministro José Dirceu nesta quinta-feira 17. Assim como ocorreu no caso [...]

Dirceu foi condenado pelo TRF4 a 30 anos e nove meses de prisão (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)
Dirceu foi condenado pelo TRF4 a 30 anos e nove meses de prisão (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)

A juíza Gabriela Hardt exigiu que o ex-ministro apresente-se à carceragem da PF nesta sexta-feira 18

A juíza Gabriela Hardt, substituta do juiz Sérgio Moro na 13ª Vara Federal de Curitiba, determinou a prisão do ex-ministro José Dirceu nesta quinta-feira 17.

Assim como ocorreu no caso de Lula, Dirceu teve sua prisão decretada horas depois de o Tribunal Federal Regional da 4ª região, responsável por julgar as apelações das decisões de Moro, negar um recurso decisivo ao ex-ministro. 

Leia também:
Justiça mantém condenação de Azeredo e abre caminho para prisão
TRF-4 nega recurso e mantém em mais de 30 anos pena de José Dirceu

Também como Lula, Dirceu teve a pena aumentada pelo TRF4 após ser condenado por Moro. Em 2016, o juiz federal havia condenado o ex-ministro a 20 anos e 10 meses de prisão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. O tribunal ampliou a pena de Dirceu para 30 anos e nove meses. 

A decisão foi tomada por Hardt porque Moro está em Nova York, onde foi premiado na terça-feira 15 pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos e posou para fotos ao lado de João Doria, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB. 

O mandado exige que Dirceu apresente-se à carceragem da Polícia Federal em Brasília nesta sexta-feira 18, até às 17 horas. O mesmo prazo para entrega foi determinado para Lula, mas o ex-presidente esperou a PF buscá-lo no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. 

A juíza determinou que ele seja transferido para o Complexo Médico Penal, em Pinhais, no Paraná ala reservada aos presos da Operação Lava Jato, mas abriu a possibilidade de que fique no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. 

A possibilidade de prisões determinadas a partir da segunda instância segue o atual entendimento do Supremo Tribunal Federal, de 2016.

O ex-governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), por exemplo, pode ter sua prisão determinada na próxima terça-feira 22, quando o último recurso do tucano será julgado pelo Tribunal de Justiça do estado. Não há, porém, a obrigatoriedade de um juiz de primeira instância exigir a reclusão de um condenado no segundo grau, segundo ministros do STF. 

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!