STF autoriza operação de busca e apreensão em endereços de Janot

Ação ocorre após ex-procurador-geral da República confessar plano de assassinato contra ministro Gilmar Mendes

Rodrigo Janot, em sessão no Supremo Tribunal Federal, enquanto era procurador-geral da República. (Foto: Nelson Jr/STF)

Rodrigo Janot, em sessão no Supremo Tribunal Federal, enquanto era procurador-geral da República. (Foto: Nelson Jr/STF)

Política

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes autorizou, nesta sexta-feira 27, uma ação de busca e apreensão pela Polícia Federal em endereços ligados ao ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A informação é do jornal Folha de S. Paulo.

A operação ocorre após Janot confessar um plano de assassinar o ministro Gilmar Mendes. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, publicada na quinta-feira 26, o ex-procurador afirmou que levou uma arma de fogo à Corte, em 2017, para cometer o homicídio e se suicidar em seguida.

A história está narrada no livro “Nada menos que tudo“, que Janot deve lançar na semana que vem. Segundo ele, sua filha, Letícia Ladeira Monteiro de Barros, foi alvo de mentiras por Gilmar após o então procurador-geral solicitar o afastamento do ministro do STF no julgamento do habeas corpus do empresário Eike Batista.

Em resposta às declarações de Janot, Gilmar se declarou surpreso e lamentou seus “impulsos homicidas”. Além disso, disse que o ex-procurador deveria se submeter a tratamento psiquiátrico e colocou suspeitas sobre os processos da Operação Lava Jato conduzidos por Janot.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem