Política

‘Sócio’ e ex-personal trainer de ’04’ recebe promoção relâmpago no governo do DF

Gustavo Lucena recebia cerca de 3 mil reais. Agora, o ordenado sobe para 12 mil, e ele terá acesso a compras e contratos do governo do DF

Jair Renan Bolsonaro, filho do presidente e o personal trainer Allan Lucena (Foto: Reprodução/Instagram)
Jair Renan Bolsonaro, filho do presidente e o personal trainer Allan Lucena (Foto: Reprodução/Instagram)

Quem tem padrinho não morre pagão. Um ex-personal trainer de Jair Renan, o filho “Zero Quatro” de Jair Bolsonaro, faturou duas promoções relâmpago no governo do Distrito Federal. Allan Gustavo Lucena recebia cerca de 3 mil reais como subsecretário Programas e Incentivos Econômicos do DF em 2019. Agora, o ordenado sobe para mais de R$ 12 mil, pois ele foi nomeado Subsecretário de Administração Geral, da Secretaria de Estado de Empreendedorismo do Distrito Federal.

No novo cargo, Lucena terá acesso a todas as compras e contratos referentes à pasta, além de administrar recursos financeiros, decidir os recursos da Secretaria de Segurança Pública, promover e acompanhar as licitações, segundo informações divulgadas pelo próprio governo do Distrito Federal em seu site.

Por meio de nota, o GDF informou apenas que “os cargos comissionados são de livre provimento. A nomeação e a exoneração são prerrogativas do chefe do Executivo”, mencionando o governador Ibaneis Rocha (MDB).

Além de agora subsecretário, ele tem uma empresa própria ativa no DF de atividades de condicionamento físico, Lucena também atua como “promotor de empreendedorismo” do projeto “Camarote 311”, um escritório da empresa Bolsonaro Jr. Eventos e Mídia, de propriedade de Jair Renan Filho, localizado no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

Em outubro do ano passado, quando foi inaugurado o espaço no Mané Garrincha, a empresa de Renan Bolsonaro ganhou – literalmente – a cobertura fotográfica e audiovisual do evento da Astronautas, produtora que presta serviços ao governo federal e recebeu, só em 2020, 1,4 milhão de reais em contratos. Na ocasião, o ’04’ agradeceu ao seu “sócio” Allan a quem chamou de “pai”.

Empreendedorismo em xeque

A empreitada de Renan na capital federal acumula controvérsias. Já existe uma investigação em curso no MPF por tráfico de influência e lavagem de dinheiro envolvendo o filho do presidente Jair Bolsonaro e um grupo do setor de mineração.

O caso também envolve a inauguração do “Camarote 311”. Além de placas de mármore cedidas pela Gramazini Granitos e Mármores Thomazini, Jair Renan também foi presenteado por um carro elétrico de R$ 90 mil, de acordo com informações do jornal O Globo.

Um mês depois, representantes da empresa conseguiram uma audiência com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que também contou com a participação do ’04’

O advogado de Renan, Frederick Wassef negou a acusação de tráfico de influência contra o filho “04” de Bolsonaro. Wassef disse que ele não possui nenhum carro, nem teria sido presenteado.

“Fui constituído como advogado de Jair Renan para defendê-lo e vou requerer cópia na íntegra desse processo. Não tem nenhum carro, ele nem atuou para abrir porta para ninguém. Jair Renan nem sabe da existência desse carro. Ele não tem carro nenhum”, disse ao Estadão.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!