Senado convida Weintraub para se explicar sobre erros no Enem

De autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), requerimento pode se transformar em convocação caso ministro não compareça

Abraham Weintraub culpou gráfica por erros no Enem. Foto: Diego Dubard/MEC

Abraham Weintraub culpou gráfica por erros no Enem. Foto: Diego Dubard/MEC

Política

A Comissão de Educação do Senado Federal aprovou, nesta terça-feira 4, um convite para que o ministro da Educação, Abraham Weintraub, esclareça os erros na correção de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O requerimento aprovado é de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A ideia do senador era solicitar uma convocação, no entanto, a comissão preferiu convidar Weintraub. O depoimento está marcado para 11 de fevereiro. Caso o ministro não compareça, os parlamentares do colegiado podem votar um requerimento de convocação.

“O Ministério da Educação se tornou uma bagunça generalizada, prejudicando estudantes de todo o país. Milhares foram prejudicados pela desorganização do Enem. É paradoxal eles [o Ministério] terem passado o ano todo criticando Paulo Freire e não terem tido condições de organizar uma prova”, disse Randolfe Rodrigues, à Rádio Senado, na segunda-feira 3.

Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), os erros no Enem afetaram 5.974 candidatos, 0,15% dos 3,9 milhões de candidatos. Weintraub disse que os problemas foram provocados pela gráfica contratada para imprimir a prova.

Apesar de especulações sobre a demissão de Weintraub, devido às turbulências no MEC, o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, assegurou que o presidente Jair Bolsonaro manterá o ministro da Educação no cargo. Segundo Lorenzoni, o presidente está “muito satisfeito” com o desempenho de todos os ministros.

O chefe da Casa Civil considerou também que Weintraub “tem um conteúdo ideológico muito forte”, mas é “normal e natural” que haja reações.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem