…

Segundo a PF, esse dinheiro pode ser de Geddel Vieira Lima

Política

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira 5 a Operação Tesouro Perdido, terceira fase da Operação Cui Bono, que investiga desvios na Caixa Econômica Federal, e encontrou uma enorme quantidade de dinheiro vivo em um apartamento de Salvador que, segundo a PF, pode ter ligação com o ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Filiado ao PMDB, Geddel é um dos principais aliados do presidente Michel Temer, de quem foi ministro. Durante o governo Lula, Geddel foi ministro da Integração Nacional e, na gestão Dilma Rousseff, foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa.

Leia também:
Em meio a escândalo, Geddel abandona o governo Temer

De acordo com a PF, a investigação chegou a um endereço em Salvador “que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima como ‘bunker’ para armazenagem de dinheiro em espécie.”

Ainda segundo a Polícia Federal, o dinheiro em espécie será transportado a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial.

Dinheiro

A PF afirma que todo esse dinheiro teria ligação com Geddel

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem