Política

“Se tem medo do povo, fica no gabinete”, diz Rui Costa sobre Bolsonaro

Governador da Bahia negou o reforço de policiais militares em evento no Estado com a presença do presidente

Apoie Siga-nos no

E a crise entre o presidente Jair Bolsonaro com os governadores do Nordeste continua. Após o governador da Bahia, Rui Costa (PT), cancelar sua participação no evento de inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista (BA), que acontece nesta terça-feira 23 e vai contar com a presença de Bolsonaro, o petista afirmou que não colocará a Polícia Militar do Estado à disposição de Bolsonaro.

“Tá tudo fechado com o exército tomando conta. Isso é retórica do presidente, que não vai pisar os pés no estacionamento, para que ele quer a PM lá dentro?”, questiona Rui.

O governador argumenta que o Exército já está cuidando da segurança do evento e do presidente, e que colocar a Polícia para reforçar a segurança é desnecessário. “Se a pessoa está com receio popular, porque está com alta taxa de reprovação, fica em seu gabinete”, disse Rui.

Mais cedo, antes de embarcar para a Bahia, Bolsonaro postou uma crítica ao governador do Estado em seu Twitter. “Lamentável a decisão do governador da Bahia que não autorizou a presença da Polícia Militar para a nossa segurança”, disse.

A polêmica começou na última sexta-feira 19. Captada por microfones, em um evento no Palácio do Planalto, o presidente afirmou ao ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que “daqueles governadores de ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão”, referindo-se a Flávio Dino (PCdoB). Seria o primeiro encontro do presidente com algum representante de um estado nordestino.

Alexandre Putti

Alexandre Putti
Repórter do site de CartaCapital

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.