São Paulo aguarda confirmação de 12 mil testes de coronavírus

Segundo o governo, 500 pacientes graves aguardam pelo resultado. O estado tem 1451 casos confirmados e 98 óbitos

(Foto: Governo do Estado de São Paulo/SP)

(Foto: Governo do Estado de São Paulo/SP)

Política

O estado de São Paulo tem 12 mil testes de coronavírus aguardando resultados. São 50o testes de pacientes graves, internados, e o restante de pacientes com sintomas leves. Até o momento, o Estado tem 1451 casos confirmados, mas o número deve subir. Também há 98 vítimas fatais.

Hoje, o estado tem capacidade de mil testagens dia a partir da produção de exames via Instituto Adolfo Lutz. O governo anunciou, no entanto, que a capacidade deve ser aumentada para 8 mil testagens dia, a partir do alinhamento com as cinco unidades do Lutz, além do Instituto Butantan e hospitais universitários.

Durante coletiva de imprensa cedida nesta segunda-feira 30, o governador João Doria voltou a falar da importância das pessoas permanecerem em casa como estratégia para diminuir a proliferação da Covid-19, momento em que voltou a criticar o presidente Jair Bolsonaro.

“Não sigam as orientações do presidente da República. Ele não orienta corretamente a população e lamentavelment não lidera o Brasil no combate ao coronavírus  e na preservação da vida”, afirmou o governador, em clara menção às idas de Bolsonaro ao comércio de Brasília no domingo, 29. A diretora do centro de vigilância epidemiológica de São Paulo, Helena Sato, afirmou que já nota mais pessoas transitando nas ruas, o que não deve ser feito.

Ainda durante o encontro, Doria anunciou que o seu segundo teste para o coronavírus deu negativo. “Aqui trabalhamos com transparência”. Ele ainda afirmou que sua esposa, Bia Doria, também realizou o exame pela primeira vez e teve resultado negativo.

Como medida ao estado, Doria anunciou a ampliação de atendimento do programa Bom Prato, que tem 159 restaurantes dedicados a oferecer alimentação às populações de baixa renda. Além do almoço, o programa passará a ofertar café da manhã e jantar. A refeição matinal sairá ao custo de R$ 0,50 e as demais a R$ 1,00. A medida fica válida até o dia 30 de maio. As unidades não servirão as refeições no local, atendendo às recomendações sanitárias, mas disponibilizarão embalagens descartáveis para que o alimento seja levado.

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site CartaEducação

Compartilhar postagem