Política

Rio 2016 perde recurso, e “Fora Temer” continua liberado

Justiça mantém liminar que permite protestos políticos nas arenas; organização afirmou que vai recorrer até o fim do processo

Apoie Siga-nos no

A Justiça Federal (TRF 2) rejeitou recurso da Rio 2016 que pretendia derrubar a liminar que permite a realização de protestos políticos nas arenas das Olimpíadas. A organização dos Jogos Olímpicos afirmou que vai recorrer da decisão até o fim do processo, em todas as instâncias.

Nos primeiros dias de competições, torcedores chegaram a ser retirados dos estádios após exibirem cartazes, faixas e camisetas contra o presidente interino Michel Temer (PMDB). O argumento apresentado foi o de que as manifestações políticas são proibidas pela Carta Olímpica e pela Lei Geral das Olimpíadas (lei 13.284/2016). De acordo com a Rio 2016, gritos e vaias estariam liberados; cartazes e outros protestos visuais, não.

Na noite de segunda-feira 9, depois que as expulsões ganharam as redes sociais e os jornais nacionais e internacionais, o juiz federal João Augusto Carneiro de Araújo concedeu liminar proibindo a repressão de manifestações pacíficas nos jogos.

No despacho, o magistrado argumenta que na Lei 13.284 de 2016, que dispõe sobre as medidas relativas ao jogos, “não se verifica qualquer proibição à manifestação pacífica de cunho político através de cartazes, uso de camisetas e de outros meios lícitos nos locais oficiais dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016”.

De acordo com o juiz, o inciso IV do artigo 28 da lei proíbe expressamente apenas as manifestações com mensagens ofensivas, de caráter racista ou xenófobo ou que estimulem outras formas de discriminação.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.