Reforma trabalhista na CCJ: como votaram os senadores

Política

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou na noite de quarta-feira 28, após 14 horas de sessão, o relatório da reforma trabalhista, que altera profundamente as relações de trabalho no Brasil. O texto é uma das apostas do presidente Michel Temer para se salvar em meio às denúncias de corrupção que sofre.

O relatório aprovado é do senador Romero Jucá (PMDB-RR), líder do governo no Senado, que não prevê nenhuma alteração no duro texto enviado pela Câmara. Para acelerar a votação e evitar mais desgaste, o Palácio do Planalto prometeu aos senadores alterar os pontos polêmicos da reforma trabalhista por meio de uma medida provisória.

O texto foi aprovado por 16 votos a 9, com uma abstenção. Confira abaixo como votaram os senadores:

A favor da reforma trabalhista

– Jader Barbalho (PMDB-PA)

– Romero Jucá (PMDB-RR)

– Simone Tebet (PMBD-MS)

– Valdir Raupp (PMDB-RO)

– Marta Suplicy (PMDB-SP)

– Paulo Bauer (PSDB-SC)

– Antonio Anastasia (PSDB-MG)

– José Serra (PSDB-SP)

– Ricardo Ferraço (PSDB-ES)

– Maria do Carmo Alves (DEM-SE)

– Roberto Rocha (PSB-MA)

– Benedito de Lira (PP-AL)

– Wilder Morais (PP-GO)

– Armando Monteiro (PTB-PE)

– Eduardo Lopes (PRB-RJ)

– Cidinho Santos (PR-MT)

Contra a reforma trabalhista

– Eduardo Braga (PMDB-AM)

– Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)

– Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

– Jorge Viana (PT-AC)

– José Pimentel (PT-CE)

– Fátima Bezerra (PT-RN)

– Gleisi Hoffmann (PT-PR)

– Paulo Paim (PT-RS)

– Ângela Portela (PDT-RR)

Abstenção

Lasier Martins (PSD-RS)

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem