Política

“Quero que vocês se explodam”, diz Flávio Bolsonaro sobre o Hamas

Reação do filho do presidente nas redes sociais diz respeito à nota de repúdio do grupo palestino à visita do mandatário a Israel

Apoie Siga-nos no

“Quero que vocês se explodam!!!” Esse foi o comentário do senador Flávio Bolsonaro ao compartilhar em sua conta no Twitter a notícia com críticas do grupo islâmico Hamas à visita de Jair Bolsonaro a Israel. Flávio está em Israel acompanhando o pai na viagem. Mais tarde, o senador apagou o post.

O grupo Hamas, classificado como terrorista pelos EUA e Israel, divulgou uma nota afirmando que a atitude de Bolsonaro viola as leis e normas internacionais e que isso não representa a atitude histórica do povo brasileiro. O grupo islâmico pediu ainda uma retratação ao governo brasileiro.

Ao lado do premiê Benjamin Netanyahu, Bolsonaro visitou o Muro das Lamentações e se tornou o primeiro chefe de Estado a visitar o local, considerado sagrado pelos judeus.

“O Hamas conclama o Brasil a reverter imediatamente essa política que é contra o direito internacional e as posições de apoio do povo brasileiro e dos povos da América Latina”, diz o grupo.

“O Hamas também condena os planos de abertura de um escritório de negócios do Brasil em Jerusalém. Exigimos que o Brasil recue de imediato desta política que viola a legitimidade internacional e vai contra a posição histórica. Essa política não ajuda a estabilidade e a segurança da região e ameaça os laços do Brasil com países árabes e muçulmanos”, conclui o texto.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.