Política

‘Quando acabar a saliva, tem que ter pólvora’, diz Bolsonaro em indireta a Biden sobre Amazônia

Sem citar Biden, Bolsonaro se referiu ao democrata como ‘candidato a chefia de Estado’

Foto: Marcos Corrêa/PR
Foto: Marcos Corrêa/PR
Apoie Siga-nos no

O presidente Jair Bolsonaro elevou nesta terça-feira 10 o tom de seu discurso contra o presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, a quem se referiu – sem citá-lo – como “candidato a chefia de Estado”.

“Assistimos há pouco a um grande candidato a chefia de Estado dizer que se não apagar o fogo da Amazônia, vai levantar barreira comercial contra o Brasil. Apenas diplomacia não dá. Quando acabar a saliva, tem que ter pólvora. Senão não funciona”, disparou Bolsonaro, que ainda não reconheceu a vitória de Biden sobre Donald Trump.

Durante a campanha eleitoral norte-americana, Biden declarou que mobilizaria os Estados Unidos e outros países em um esforço para auxiliar o Brasil no combate a incêndios na Amazônia.

“Eu iria agora mesmo organizar, no hemisfério e no mundo, para comprometer US$ 20 bilhões para a Amazônia, para que o Brasil não queime mais a Amazônia”, disse o democrata em um debate realizado em março.

Em setembro, Biden voltou a abordar o assunto em outro debate. “As florestas tropicais do Brasil estão sendo destruídas. Mais carbono é absorvido naquela floresta do que é emitido pelos Estados Unidos. Vou garantir que vários países se juntem e digam: ‘Aqui estão US$ 20 bilhões. Parem de destruir a floresta. Se não parar, vai enfrentar consequências econômicas significativas’”, disparou.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.