Política

Quaest: Em Minas, Zema lidera com 41% e Kalil é o segundo com 30%

Consultoria monitorou ainda dois cenários de segundo turno; em ambos, o atual governador aparece em vantagem

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação
Apoie Siga-nos no

A nova rodada da pesquisa Quaest em Minas Gerais, divulgada nesta sexta-feira 13, traz novamente o governador do estado, Romeu Zema (Novo), na liderança da corrida eleitoral. Os dados foram divulgados pela CNN Brasil.

Ao todo, o atual chefe do executivo mineiro reúne 41% das intenções de voto e supera o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD), que tem 30%. Em terceiro lugar figura o senador Carlos Viana (PL) com 9%.

De acordo com o cientista político Felipe Nunes, diretor da Quaest, Kalil aparece em segundo lugar porque ainda tem dificuldades em ser conhecido entre os eleitores do interior do estado, onde é desconhecido por 44%.

“A maior diferença entre os principais candidatos aparece no recorte regional. Kalil vence em BH e na região metropolitana, mas perde no interior, onde estão 65% dos eleitores”, registra Nunes em sua análise divulgada nas redes sociais. “Zema pode ver sua vantagem diminuída quando Kalil aumentar seu grau de conhecimento no interior”, completa.

Ainda segundo o diretor do instituto, Zema também garante a liderança por ter em seu favor boa avaliação no atual mandato, registrando 42% de indicações ‘ótimo/bom’.

“Mesmo em BH, onde Zema tem o pior desempenho eleitoral, o governo é avaliado de forma positiva por 34% dos eleitores. No interior, a avaliação positiva chega a 43%”, destaca Nunes.

A pesquisa ainda mostra uma margem considerável de indicações de voto em branco ou eleitores indecisos. No cenário principal, os dois grupos somam 21%. Segundo Nunes, os índices fazem com que a margem positiva para Zema não seja definitiva neste momento.

“Essa vantagem de Zema não parece ser definitiva. Os eleitores mineiros não estão certos sobre o seu voto para governador. Apenas 40% já decidiram em quem votar. Entre os eleitores de Zema, a decisão já foi tomada por 43%, entre os eleitores de Kalil por 47%”, destaca o pesquisador.

A consultoria ainda monitorou dois cenários de segundo turno no estado. Em ambos, Zema supera os adversários. Na primeira sondagem, o atual governador soma 48% das intenções de voto, ante 35% de Kalil. Já no segundo cenário pesquisado, contra Viana, Zema chegaria a 59% contra 18% do parlamentar.

Para chegar aos resultados desta sexta-feira, a Quaest entrevistou 1.489 eleitores mineiros entre os dias 7 e 10 de maio. A margem de erro é de 2,5 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.