Política

Aposentadoria terá idades mínimas de 62 e 65 anos, define Bolsonaro

Haverá um período de doze anos de transição para se chegar aos pisos

De 2013 para 2014 o número de trabalhadores com carteira assinada passou de 50,3% (11,6 milhões) para 50,8% (11,7 milhões). Foto: Senado Federal
Apoie Siga-nos no

Em reunião com sua equipe econômica, o presidente Jair Bolsonaro estabeleceu, na tarde desta quinta-feira 14, que a nova reforma previdenciária a ser votada pelo Congresso terá idades mínimas de aposentadoria de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens.

A confirmação foi realizada por Rogério Marinho, secretário especial de Previdência do Ministério da Economia. Foi definido também que haverá um período de doze anos de transição para se chegar aos pisos de recebimento da aposentadoria.

O secretário comenta ainda que a equipe econômica foi mais rigorosa, tendo defendido uma única idade mínima de aposentadoria para homens e mulheres, que seria de 65 anos. Quem recusou a proposta foi o próprio presidente.

A proposta formal para Câmara dos Deputados só deve ser enviada na próxima quarta-feira 20.

Leia também: Comandante quer exclusão de militares da reforma da Previdência

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo