Política

Possível liberação de Lula acirra ânimos de procuradores e políticos

Crescem os chamados a protestos e as críticas ao ministro Marco Aurélio Mello

Procuradores e aliados do presidente eleito Jair Bolsonaro reagem a decisão liminar de Marco Aurelio Mello tomada nesta quarta 19 para a liberação de condenados que tenham sido presos antes do trânsito em julgado, decisão que beneficia o ex-presidente Lula.

O Movimento Brasil Livre convocou uma manifestação para as 17h, em frente à sede do STF em Brasília. Já os petistas pediram mobilização urgente na Vigília Lula Livre, na Polícia Federal de Curitiba. Também na tarde de quarta, a defesa do ex-presidente pediu a soltura imediata, dispensando exame de corpo de delito.

Crescem os chamados a novos protestos e críticas ao ministro, que vão desde de acusações criminais a pedidos de afastamento -e até do fechamento do Supremo.

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, recém-saído da força-tarefa da Lava Jato, se manifestou várias vezes contra a decisão. “Mais que um indulto! Marco Aurélio dá a Lula um presente de Natal! Só que às custas da crença da população na Justiça”, escreveu no Facebook.

No Paraná, o procurador Adriano Fernandes ventilou ‘basta um jipe, um cabo e um soldado’, em referência à uma frase proferida por um dos filhos de Bolsonaro sobre o fechamento do STF. O post foi apagado instantes depois.

Deputada federal mais votada dessas eleições, Joice Hasselmann, defendeu o afastamento de Mello e elogiou um suposto ‘alinhamento’ de Dias Toffoli com o governo Bolsonaro, pedindo que ele casse a liminar do colega.

O juiz carioca Marcelo Bretas também conjecturou sobre as mudanças e reações de um ‘velho modelo’.

Leia também: Em liminar, Marco Aurélio critica colegas e defende Estado de Direito

Dos filhos de Bolsonaro, Eduardo foi até agora o único a comentar nominalmente a decisão. Ele lamentou, em uma série de posts, que a decisão do ministro beneficia centenas de milhares de presos.

Também eleita deputada, Janaína Paschoal afirma que a decisão “coloca em risco o país”.

General de reserva, e político do PSL, Girão Monteiro diz que a ordem ‘absurda’ de Marco Aurelio ‘não irá muito longe’.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!