PM de MG manda retirar outdoor para ato do 7 de Setembro com logo da corporação

A polícia mineira afirmou 'que não tem qualquer participação no referido evento', organizado por bolsonaristas

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Política

O governo de Minas informou nesta quarta-feira, 1º, que não haverá atos e desfiles oficiais de 7 de Setembro no estado. O anúncio foi feito em nota conjunta do governador Romeu Zema (Novo) e a Polícia Militar mineira. A PM informou também que “solicitou” a retirada de um outdoor instalado no município de Raul Soares (MG), que convoca a população para um desfile, hasteamento da bandeira do Brasil e execução do Hino Nacional no Dia da Independência. O outdoor exibe a logomarca da PM mineira e marca da Sicoob Crédito Empresarial, cooperativa de crédito da região, que também pediu a retirada do seu nome.

 

 

O outdoor foi instalado por um grupo local da cidade de 23.762 habitantes, o Raul Soares Patriota, que tem como lema “Deus, Pátria e Família”. “Resgatando o patriotismo em nossa cidade. Participe! Traga a sua família”, diz a peça publicitária.

No comunicado, Zema afirmou que “devido à pandemia da Covid-19 e diante de todos os cuidados sanitários necessários, não serão realizadas celebrações pelo estado que promovam aglomerações no Dia da Independência, comemorado em 7 de setembro”.

O governador ainda declarou que a PM “fará o monitoramento para avaliar a necessidade de planejar uma ação de segurança quando houver a confirmação dos atos em qualquer cidade do estado”.

Na nota conjunta, a PM afirma “que não tem qualquer participação no referido evento e solicitou aos organizadores a retirada da logomarca da corporação da peça publicitária”. O Sicoob Crédito Empresarial, por sua vez, também divulgou nota hoje informando que “não autorizou o uso de sua marca no referido outdoor (…) e solicitou aos organizadores que retirassem sua logo da peça publicitária”.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem