Política

PF conclui que o bolsonarista Daniel Silveira desacatou perita do IML

Após ser preso, o deputado se negou a utilizar máscara no instituto. A PF, porém, não viu indícios de infração sanitária

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). Foto: Reprodução
O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Após investigações, a Polícia Federal concluiu que o deputado federal bolsonarista Daniel Silveira (PSL-RJ) cometeu crime de desacato à autoridade ao rebater uma agente do Instituto Médico Legal, em 16 de fevereiro deste ano.

O pedido de investigação foi feito à época pelo vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, que solicitou a apuração dos crimes de desacato e infração de medida sanitária. A PGR decidirá se denuncia Silveira por mais um crime.

Após prisão em flagrante por decisão do ministro Alexandre de Moraes, motivada por ameaças de Silveira a magistrados do STF, o bolsonarista foi encaminhado ao IML para realizar o exame de corpo de delito.

Como mostram imagens gravadas por um assessor, Silveira se negou a usar máscara e discutiu com a funcionária que solicitou o uso do equipamento. “Sou polícia, e aí? Também sou deputado federal, e aí? Acha que eu não conheço a porra da lei, não?”.

No laudo enviado nesta quinta-feira 27 à PGR e ao STF, a PF aponta indícios do crime de desacato (art. 331 do Código Penal, com detenção de seis meses a dois anos ou multa), mas não considera que a recusa em utilizar máscara resulte em crime sanitário.

“Cotejando a transcrição do vídeo, com os depoimentos e declarações apresentados pelos envolvidos, esta autoridade policial considera que o deputado Federal Daniel Silveira, ao se dirigir à perita legista Lilian Vieira com o emprego de expressões ofensivas como [lista palavrões], acabou por desrespeitar a funcionária pública, que se encontrava no exercício de sua função, conduta que, indubitavelmente, encontra enquadramento típico no artigo 331 do Código Penal”, diz o documento enviado à Corte e obtido pelo G1.

Já que o deputado colocou a máscara após as ofensas dirigidas à perita e “o exame médico legal prosseguiu sem maiores intercorrências”, a infração sanitária não seria conclusiva, de acordo com a PF.

Atualmente, Silveira cumpre prisão domiciliar. Recentemente, Alexandre de Moraes negou outro pedido da defesa do parlamentar que demandava a revogação da prisão e de demais medidas cautelares.

CartaCapital

CartaCapital Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.