Política

PEC Paralela da Previdência passa na CCJ do Senado e vai ao plenário

Relatório de autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) altera pontos da reforma da Previdência aprovada em outubro

O senador Tasso Jereissati. (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Apoie Siga-nos no

Com 20 votos favoráveis e cinco contrários, Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal aprovou, nesta quarta-feira 6, o relatório da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Paralela da reforma da Previdência. O texto segue para votação no plenário da Casa.

A matéria altera pontos da reforma da Previdência, aprovada pelos senadores em outubro e que aguarda promulgação no Congresso Nacional. A principal mudança que a PEC Paralela introduz à reforma da Previdência é a inclusão de estados e municípios no novo sistema de aposentadoria.

De autoria do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), o relatório permite que os estados, municípios e o Distrito Federal adotem as mesmas regras que serão aplicadas no regime previdenciário da União.

Ou seja, com a PEC Paralela, funcionários públicos federais, estaduais e municipais poderão seguir as mesmas normas relacionadas à idade mínima e ao tempo de contribuição, por exemplo.

O municípios que não criarem regras próprias vão aderir, automaticamente, ao regime previdenciário da União, caso o sistema tenha sido incorporado pelo estado do qual fazem parte.

A PEC Paralela também permite que estados e municípios revejam a decisão de aderir à reforma da União por projeto de lei. No entanto, os governadores e os prefeitos não terão permissão de adotar esta medida se estiverem a menos de 180 dias de concluir seus mandatos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo