Política

Para pressionar o governo, servidores públicos paralisam os trabalhos nesta quinta-feira

Em ato virtual, funcionalismo público busca reajuste de 19,9% nos salários

Foto: Gibran Mendes
Foto: Gibran Mendes
Apoie Siga-nos no

Servidores públicos federais organizam uma paralisação para esta quinta-feira 27, para pressionar o governo federal a negociar ajustes salariais. O ato, desta vez, será feito de forma virtual. 

Segundo a entidade que representa os funcionários públicos, a demanda é que haja reposição de 19,9% dos salários. O valor foi determinado com base nas perdas acumuladas desde o início do governo Bolsonaro. Uma plenária foi marcada para as 10h para que as lideranças discutam os próximos passos da mobilização.

Novos atos foram convocados para o próximo dia 2 de fevereiro, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. A data coincide com o retorno do recesso do Legislativo e do Judiciário. 

Caso não haja consenso entre servidores públicos e o governo até março, uma greve geral pode ser iniciada. 

O desentendimento entre governo e o funcionalismo público teve início ainda em dezembro, quando o presidente Jair Bolsonaro pediu para que constassem no Orçamento de 2022 um reajuste para Policiais Federais, Polícia Rodoviária Federal e do Departamento Penitenciário Nacional.  

Outras carreiras do funcionalismo também paralisaram para protestar pela falta de reajuste salarial. Funcionários do Banco Central articularam, inclusive, entrega massiva de cargos.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.