Educação

Pagamento de bolsas de 60 mil estudantes de graduação está atrasado

Os recursos necessários já foram disponibilizados, diz Capes

Estudantes caminham para instituição de ensino em Brasília. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Estudantes caminham para instituição de ensino em Brasília. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

O pagamento dos auxílios dos Programas Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, o Pibid, e de Residência Pedagógica está atrasado. Os programas são voltados à qualificação de futuros professores e atingem 60 mil estudantes de graduação em cursos de licenciatura, que recebem 400 reais por mês.

 

Segundo a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, a Capes, responsável pelo pagamento das bolsas, os recursos precisarão ser suplementados.

“Os recursos necessários já foram disponibilizados pelo governo federal, mas o crédito precisou ser encaminhado via projeto de lei, já que não há mais permissão legal para a suplementação orçamentária por meio de ato do Executivo”, declarou a Capes, em nota.

Para isso que isso seja viabilizado é preciso que o Congresso Nacional aprove um novo projeto de lei pelo para garantir a suplementação orçamentária que viabilize o pagamento dos benefícios desses programas aos estudantes.

Conforme o órgão, o projeto de lei com a suplementação de recursos deverá ser debatido na Comissão Mista de Orçamento ainda nesta quarta-feira 27. Posteriormente, precisará ser apreciado e votado no Plenário do Congresso.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!