Orlando Silva entra com representação contra Bolsonaro por pedir votos durante live

Candidato à Prefeitura de São Paulo aponta uso de máquina pública para fazer propaganda eleitoral


Foto 1: Reprodução/Twitter/Orlando Silva. Foto 2: Reprodução/YouTube/Jair Bolsonaro

Foto 1: Reprodução/Twitter/Orlando Silva. Foto 2: Reprodução/YouTube/Jair Bolsonaro

Política

O deputado federal e candidato à Prefeitura de São Paulo Orlando Silva (PcdoB) entrou, nesta sexta-feira 6, com uma representação judicial contra o presidente Jair Bolsonaro alegando uso de máquina pública para propaganda eleitoral. Em live nas redes sociais realizada na quinta-feira 5, o presidente pediu votos para a campanha de Carlos Bolsonaro (Republicanos) a vereador no Rio de Janeiro, no que chamou de ‘horário eleitoral gratuito’.

 

 

Bolsonaro também renovou o apoio a Celso Russomanno (Republicanos) para a Prefeitura de São Paulo e a Marcelo Crivella (Republicanos), que concorre à reeleição à Prefeitura do Rio de Janeiro.  O presidente ainda pediu votos para a disputa de vereadores e mencionou Wal do Açaí, que concorre ao cargo em Angra dos Reis (RJ).

“É inaceitável que, em pleno século 21, autoridades públicas se utilizem do cargo para pedir votos a seus aliados sem nenhum pudor de usar a máquina pública a seu favor. Não aceitaremos esse tipo de retrocesso. Derrotaremos Bolsonaro em São Paulo”, afirmou Orlando.

Segundo a representação enviada à Procuradoria-Geral da República (PGR), Bolsonaro “se utilizou de aparato de propaganda do Governo Federal para fins particulares, eleitorais, em flagrante violação, também, da legislação eleitoral, em especial dos artigos 73, II e III, da Lei nº 9.504/97 e artigo 22 da Lei nº 64/90”.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem