Política

Omar Aziz reitera reconvocação de Queiroga à CPI e votação do relatório no dia 20

Aziz também garantiu que mesmo com a nova convocação do ministro da Saúde, o calendário da CPI não foi alterado

Senador Omar Aziz (PSD-AM).

Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado
Senador Omar Aziz (PSD-AM). Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid senador Omar Aziz (PSD-AM), reiterou a reconvocação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga à CPI.

Em entrevista ao canal do Youtube de Marco Antonio Villa, Aziz disse que Queiroga tem três pontos para esclarecer aos senadores. “O porquê houve a orientação para suspender a vacinação de adolescentes de 12 a 17 anos; como será a vacinação no próximo ano; e sobre o parecer da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sus (Conitec), a respeito de medicamentos sem comprovação científica, não ter saído até hoje” elencou o senador.

“Não dá para entender que depois de cinco meses que ele (Queiroga) esteve na CPI e depois de um ano de discussão, a Conitec não traga um relatório final porque o presidente da República não quer”, afirmou.

Aziz também garantiu que mesmo com a nova convocação do ministro da Saúde, o calendário da CPI não foi alterado e a votação do relatório deve ocorrer em 20 de outubro.

“O governo não quer admitir que o que propagou o que aconteceu na Prevent Senior, o que aconteceu nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e em vários lugares do Brasil foi um erro que levou à morte de milhares de pessoas. Não se pode colocar política acima da ciência”, afirmou Aziz.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!