Política

Nova líder da Comissão de Orçamento é casada com ex-governador preso por ‘mensalão do DEM’

José Roberto Arruda, do DF, esteve envolvido em esquema de compra de apoio parlamentar e é próximo a Arthur Lira, presidente da Casa

Deputada Flavia Arruda (PL-DF). Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Deputada Flavia Arruda (PL-DF). Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

A deputada federal Flávia Arruda (PL-DF) foi confirmada nesta quarta-feira 10 como a presidente da Comissão Mista de Orçamento (CMO), um dos colegiados mais importantes da Casa, já que dispõe sobre as diretrizes orçamentárias anuais apresentadas pelo governo federal.

Arruda é a primeira deputada a assumir o cargo, mas sua nomeação chama a atenção especialmente pelo fato dela ser esposa do ex-governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que foi preso e condenado pelo episódio conhecido como “Mensalão do DEM”, partido de José até então.

Arruda foi preso e afastado do cargo em 2010, e depois condenado a 2 anos e 11 meses de reclusão, em regime inicial aberto, por crime de falsidade ideológica. O esquema previa pagamento de propinas ao ex-governador e a deputados distritais do DF.

Mesmo com a condenação, o ex-governador não se manteve distante do cenário político. O nome de sua esposa, eleita pela primeira vez como deputada federal em 2018, já vinha sendo ventilado para a comissão desde o fim de 2020. Ela e o marido aparecem em um vídeo gravado por apoiadores de Arthur Lira (PP-AL), antes das eleições na Casa, entre convidados e figuras do Centrão.

Flávia Arruda afirmou que a comissão irá trabalhar para levar a proposta de orçamento ao Plenário até o dia 20 de março. A parlamentar indicou o senador Marcio Bittar (MDB-AC) como relator-geral da comissão.

Em seu pronunciamento, a nova presidente da CMO citou os três assuntos que considera mais urgentes para a análise do Orçamento. “Compromisso com vacinas, para salvar vidas; distribuição de renda, porque não se pode viver onde pessoas passam fome; e retomada da economia com geração de empregos.”

*Com informações da Agência Câmara de Notícias 

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!