CartaExpressa

No STF, Marinho pede saída de Moraes dos casos do 8 de Janeiro

Barroso ouviu ainda observações dos parlamentares sobre a continuidade do chamado inquérito das fake news

Senador afirmou também que expressou “inquietação” com o “padrão do STF de abrir inquéritos de ofício”. Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O senador Rogério Marinho (PL-RN) pediu nesta quarta-feira 24 ao presidente do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, que o ministro Alexandre de Moraes seja afastado dos casos que envolvem o 8 de Janeiro.

“Nós acreditamos que ele [Moraes] deveria abrir mão do processo, até para que não haja no futuro nulidade quanto a esses processos”, declarou Marinho.

O senador afirmou também que expressou “inquietação” com o “padrão do STF de abrir inquéritos de ofício”.

Marinho participou de uma reunião com Barroso junto aos senadores Hamilton Mourão (Republicanos-RS), Izalci Lucas (PSDB-DF) e Márcio Bittar (União-AC).

De acordo com o líder da oposição, o ministro se prontificou a levar as preocupações mencionadas tanto ao ministro Alexandre de Moraes quanto aos demais integrantes da Corte.

Segundo o STF, o Barroso ouviu ainda observações dos parlamentares sobre a continuidade do chamado inquérito das fake news. Os senadores ainda entregaram uma cópia do relatório da CPI das ONGs, aprovado no fim do ano passado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo