Educação

No dia da prisão, mulher de Milton Ribeiro disse que ex-ministro ‘estava sabendo’ da operação

Para investigadores, esse diálogo reforça as suspeitas de vazamento da investigação; caso será analisado pelo Supremo

Créditos: EBC
Créditos: EBC
Apoie Siga-nos no

Em um telefonema realizado no dia da prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro e interceptado pela Polícia Federal, sua mulher Myrian Ribeiro afirmou a um interlocutor que o ex-ministro “tava sabendo” com antecedência da realização de uma operação contra ele, mas não queria acreditar.

No fundo ele não queria acreditar, mas ele tava sabendo. Pra ter rumores do alto, a coisa… é porque o negócio já tava certo — disse.

Para investigadores, esse diálogo reforça as suspeitas de vazamento da investigação. Isso porque, em um outro diálogo mantido no dia 9 de junho, o próprio Milton Ribeiro contou que conversou com o presidente Jair Bolsonaro e que ele teria dito que achava que o aliado seria alvo de buscas.

O telefonema de Myrian ocorreu às 9h19 da última quarta-feira, com uma pessoa da sua família. No diálogo, o familiar lhe tranquiliza sobre a operação deflagrada contra seu marido. Ela, porém, relata ter ficado abalada e diz que o advogado iria tentar um habeas corpus.

A PF diz, em relatório, que a conversa indica que “Milton Ribeiro teria conhecimento de uma possível operação policial – fato este já demonstrado no Auto Circunstaciado Parcial 01, quando MILTON demonstra em diversas ligações sua preocupação em sofrer um mandado de busca apreensão, bem como cita uma conversa que teria tido com o Presidente da República com este mesmo teor”.

Agência O Globo

Agência O Globo
Agência de notícias e de fotojornalismo do Grupo Globo.

Tags: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.