Economia

assine e leia

Negócio da China

Oito meses após ser privatizada, a CEEE-Transmissão distribui 1,2 bilhão de reais em dividendos para acionistas

Fúria antiestatal. Eduardo Leite entregou de mão beijada a bilionária reserva da empresa pública para investimentos - Imagem: Gustavo Mansur/GOVRS e Pedro Revillion/GOVRS
Fúria antiestatal. Eduardo Leite entregou de mão beijada a bilionária reserva da empresa pública para investimentos - Imagem: Gustavo Mansur/GOVRS e Pedro Revillion/GOVRS
Apoie Siga-nos no

O tucano Eduardo Leite tem o péssimo hábito de não cumprir promessas. Em 2018, na campanha pelo governo do Rio Grande do Sul, assegurou que não seria candidato à reeleição. Mudou de ideia e está de volta à ­disputa pelo Palácio Piratini. Em 2021, embalado pelo sonho da Presidência da República, renunciou ao próprio mandato para disputar as prévias do PSDB. Garantiu que respeitaria as regras do jogo e apoiaria o vencedor da eleição interna. Derrotado pelo ex-governador paulista João Doria Jr., voltou a trair a palavra empenhada e implodiu o ninho tucano.

Durante a sua gestão, Leite também se notabilizou por mudar de juízo ao sabor da conveniência. Prometeu respeitar uma cláusula da Constituição do Estado que obrigava o Executivo a promover um referendo em caso de privatização de empresas estatais. Não cumpriu. Articulou um conluio na Assembleia Legislativa para derrubar a medida e privatizou dois braços da Companhia ­Estadual de Energia Elétrica: a CEEE-Distribuição e a ­CEEE-Transmissão, comprada pela CPFL Energia. A primeira foi vendida a preço de banana para a Equatorial Energia, 100 mil reais, e a segunda reproduz o milagre da multiplicação dos peixes.

René Ruschel
Jornalista

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.