Não é possível um homem que quer a Presidência falar as baixarias que ele falou, diz Lula sobre Ciro

O ex-presidente foi acusado pelo pedetista de ter conspirado pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT) em 2016

O ex-presidente Lula. Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Lula. Foto: Ricardo Stuckert

Política

Um dia após ser acusado por Ciro Gomes (PDT) de ter conspirado pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentou os ataques do adversário e disse não entender ‘as baixarias’ ditas pelo pedetista. A declaração foi dada em entrevista à rádio Grande FM, de Dourados, Mato Grosso do Sul na manhã desta quinta-feira 14.

“O que ele fez ontem foi tão banal, tão grosseiro que fico pensando no que Jesus Cristo disse na cruz: ‘Pai, perdoai os ignorantes, eles não sabem o que fazem’”, afirmou Lula.

“Não sei se Ciro já teve Covid ou não, mas me disseram que quem já teve Covid tem problemas de sequelas, alguns têm problemas no cérebro, de esquecimento. Eu não sei, mas não é possível que um homem que pleiteia a Presidência da República possa falar as baixarias que ele falou ontem”, acrescentou o ex-presidente.

Segundo Lula, ele ‘lamenta profundamente’ os ataques e não compreende qual o objetivo de Ciro com as declarações. “Não sei o que ele está querendo, mas quem planta vento colhe tempestade”, reforçou.

 

 

Na entrevista, Lula foi também questionado sobre quais outros nomes da esquerda poderiam ser candidatos à Presidência da República em 2022 e se há espaços para o surgimento de ‘outras vias’ até as eleições.

“Obviamente que o PT tem toda liberdade de escolher quem é candidato, mas um candidato a presidente não é uma coisa que você ache assim [estalando os dedos]. Não é uma coisa que você vai num programa da Globo e encontra o [Luciano] Huck, o Faustão, o Datena. Não é assim que você escolhe um candidato. Toda vez que o Brasil escolheu um candidato assim não deu certo. É importante que a pessoa tenha uma história política, que tenha uma biografia”, respondeu.

Os radialistas também perguntaram a Lula sobre erros do seu governo, em uma cobrança para que o ex-presidente fizesse uma autocrítica. Ele então respondeu que deixaria a análise dos erros a cargo dos jornalistas.

“Pra que eu vou fazer autocrítica se vocês podem me criticar? É mais saudável. Se eu ficar me criticando, o que vai sobrar pros outros falarem?”, rebateu Lula.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem