Política

Musk no Brasil: CEOs fizeram até selfie, mas reclamaram de ‘conversa fiada’

Empresários do setor de telecomunicações foram informados de última hora da presença do presidente Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro, Fábio Faria e Elon Musk. AFP PHOTO/BRAZIL'S MINISTRY OF COMMUNICATION/Kenny OLIVEIRA
Jair Bolsonaro, Fábio Faria e Elon Musk. AFP PHOTO/BRAZIL'S MINISTRY OF COMMUNICATION/Kenny OLIVEIRA
Apoie Siga-nos no

A promessa era um evento no interior de São Paulo para falar sobre Amazônia conectada, proteção e educação. Mas pouca coisa aconteceu na prática, segundo o relato de executivos do setor. Os presidentes das teles foram convidados pelo Ministério das Comunicações há cerca de dez dias para o evento com o homem mais rico do mundo, o empresário Elon Musk, dono da empresa Starlink.

Com dois dias de antecedência, receberam um adendo. Na última versão do convite apareceu o aviso: “além da presença do ministro de Estado das Comunicações, Fábio Faria, está confirmada a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro, portanto, pedimos a gentileza de chegar com uma hora de antecedência”.

Não foi a única descoberta de última hora. Embora o evento para falar de satélite tivesse o tema conectividade da Amazônia, só Musk teve espaço, o que incomodou parte dos CEOs. Isso porque das outras empresas que oferecem o serviço, apenas o grupo América Móvel, dono da Claro, que tem a StarOne (satélite que era da Embratel), participou.

Houve queixas ainda em relação à falta de efeitos práticos. Nas palavras de um executivo, foi “um grande evento de publicidade”. Outro deles classificou o convescote como “uma ideia de jerico”. E o almoço foi mais elogiado pelo menu, com filé mignon e tiramissú, do que pelo teor das conversas: “foi só comida e conversa fiada”, definiu um dos presentes, que disse ter visto poucas trocas verdadeiras e “debates genéricos” sobre a importância da tecnologia.

Mas a ciumeira, o azedume e a falta de um debate mais substancial não impediram que executivos de grandes empresas guardassem uma lembrança da reunião com o homem mais rico do mundo. Muitos executivos gravaram o momento com seus celulares e fizeram selfies com o bilionário. E sobraram até comentários sobre a altura de Musk (1,88m), um desafio ao bom enquadramento.

A presença ostensiva de executivos do BTG chamou a atenção. Musk almoçou entre Bolsonaro e o banqueiro André Esteves. Fundos do BTG compraram metade da empresa de fibra óptica da Oi, a InfraCo, o que gerou expectativa em relação às intenções do banco com a vinda de Musk.
ANP: Litro do diesel sobe pela quinta semana nos postos e atinge novo recorde

A empresa de satélite do bilionário tem autorização para operar no Brasil e pretende oferecer internet em áreas rurais a partir de meados deste ano nas regiões Sul e Sudeste.

No almoço, entre os presidentes das teles, somente Rodrigo Abreu, que comanda a Oi, permaneceu. Um dos presentes decidiu ir embora e resumiu sua participação: “vim ver e ser visto por uma questão de cortesia com o Ministério das Comunicações”.

Agência O Globo

Agência O Globo
Agência de notícias e de fotojornalismo do Grupo Globo.

Tags: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.