Mulheres organizam “calcinhaço da democracia” no Mato Grosso do Sul

Manifestantes reivindicam maior representatividade na Assembleia Estadual, onde apenas homens exercem cargo de deputado

Banner convida mulheres a levarem calcinhas a um varal coletivo. Foto: Reprodução/Facebook

Banner convida mulheres a levarem calcinhas a um varal coletivo. Foto: Reprodução/Facebook

Política

Mulheres organizam um protesto chamado de “Calcinhaço da Democracia”, marcado para terça-feira 3, às 9 da manhã, em frente ao Palácio Guaicurus, na Assembleia Legislativa do estado do Mato Grosso do Sul. A pauta será a baixa representatividade feminina no parlamento estadual.

Todos os 24 assentos da assembleia estadual são ocupados por homens, eleitos como deputados em 2018. Desde 1979, quando o Mato Grosso do Sul foi fundado, apenas 11 mulheres exerceram o cargo de deputada no parlamento, segundo informa o jornal Folha de S. Paulo.

Em vídeo publicado nas redes sociais no domingo 1, uma agitadora afirmou que o objetivo é dizer aos deputados da Assembleia que “não há possibilidade nenhuma do exercício da democracia sem a participação das mulheres”.

CALCINHAÇO DA DEMOCRACIA –– 3 de março, às 9h, na Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul (Jardim Veraneio, Campo…

Posted by Mídia Ninja on Sunday, March 1, 2020

 

“No Mato Grosso do Sul, nós estamos no terceiro lugar do ranking de feminicídio do Brasil. Isso é inadmissível. Assim como é inadmissível não termos nenhuma deputada eleita nesta casa. Então, venham todas para o calcinhaço da democracia”, diz.

Em publicação da mesma data, o site Mídia Ninja divulgou um banner em que uma calcinha está pendurada em um varal e convoca as mulheres a levar uma peça íntima para um “varal coletivo”.

O ato ocorre dias antes do Dia Internacional da Mulher, celebrado no próximo domingo 8.

Venham todas para o #calcinhaçonaALMS Dia 03/03 09h

Posted by Cris Duarte on Sunday, March 1, 2020

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem