Política

MP Militar pede investigação sobre irregularidades na compra de filé mignon pelas Forças Armadas

O órgão identificou a existência de dois fornecedores com preços diferentes a vencerem o mesmo pregão da Força Aérea Brasileira

Militares do Exército em fila. Foto: Acervo 13BIB - Curitiba /PR
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público Militar pediu a instalação de um inquérito policial militar para apurar indícios de irregularidades em dois pregões realizados no governo de Jair Bolsonaro (PL) para a compra de filé mignon destinado às Forças Armadas.

O relatório partiu da procuradora de Justiça Militar Najla Nassif Palma. O MPM identificou a existência de dois fornecedores com preços diferentes a vencerem o mesmo pregão da Força Aérea Brasileira – ou seja, o órgão entende que os militares não priorizaram o preço mais baixo.

Segundo o documento, há o registro de compras com a Ravi Comércio Atacadista e Alimentos de 650 quilos em 27 de janeiro de 2020 e de mais 670 quilos em 11 de março de 2020. O preço do quilo foi de 41,28 reais.

As Forças Armadas, contudo, também compraram da GN Alimentos Ltda. 1,5 mil quilos em 11 de março de 2020 e 19,8 mil quilos entre 9 de julho e 18 de agosto de 2020. Aqui, o preço do quilo foi mais baixo: 34,66 reais.

O documento, assinado em 16 de janeiro, também questiona o fato de as Forças Armadas terem comprado 20 toneladas da carne nobre para consumo em poucos meses.

“Necessário perquirir com mais profundidade o fato de a administração pública adquirir um produto de um fornecedor com um preço maus custoso”, sustenta o Ministério Público. O órgão pede inicialmente que o responsável pelo inquérito:

  • junte os processos licitatórios, as notas de empenho do dinheiro e as assinaturas dos fiscais dos contratos sobre o recebimento dos produtos; e
  • tome o depoimento dos principais agentes públicos envolvidos.

A ação do MP Militar decorre de uma notícia de fato protocolada pelo ex-deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), que denunciou a suspeita de compras irregulares em abril de 2022. Atualmente, Vaz é secretário de Assuntos Legislativos no Ministério da Justiça.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.