Política

Moro é rifado pelo Podemos no Paraná; Deltan é cotado para assumir direção estadual

Visando sua reeleição, o senador Álvaro Dias firmou um ‘acordão’ que deve o palanque presidencial no estado com Jair Bolsonaro

Sérgio Moro e Dallagnol
Sérgio Moro e Dallagnol
Apoie Siga-nos no

A crise que afeta o Podemos ganhou nesta quarta-feira (19) contornos rocambolescos no Paraná, estado do senador Álvaro Dias e de Sergio Moro, pré-candidato do partido à Presidência.

Conforme antecipou CartaCapital, dirigentes regionais e deputados da sigla estão insatisfeitos com os rumos da candidatura de Moro. Um dos grandes motivos é a implosão de acordos regionais, com palanques e chapas já encaminhadas para apoiar Lula ou Bolsonaro.

Ironicamente, Moro corre o risco de perder o palanque justamente em seu estado, o Paraná.

Desde o início das tratativas, o Podemos teria uma “trinca” já acertada: o ex-prefeito de Guarapuava Cesar Silvestri Filho concorreria ao governo estadual, Moro à Presidência e Dias ao Senado. Mas nesta manhã, Silvestri esteve em São Paulo e se filiou ao PSDB, abrindo um palanque no estado para a pré-candidatura de João Doria.

A saída de César tem como pano de fundo a aproximação de Ratinho Júnior (PSD), candidato à reeleição, com o senador Álvaro Dias. Visando sua reeleição ao Senado, Dias acertou com o governador uma grande aliança que daria a Ratinho tempo de televisão e mais chances de vencer em primeiro turno. O “acordão” dividiria o palanque presidencial entre Jair Bolsonaro e Sergio Moro.

Aliados de Moro veem com maus olhos as tratativas, já que da forma como vem sendo feita sua candidatura não estaria sendo priorizada no estado.

O apoio de Álvaro Dias desagrada também Bolsonaro, que não quer saber de aliança com o senador e estuda lançar uma candidatura do PL ao governo do Paraná com Silvio Barros, ex-prefeito de Maringá e irmão de Ricardo Barros.

Deltan dirigente?

Com a saída de César a direção estadual do Podemos também fica vaga e o novo dirigente será definido em reunião na próxima terça-feira. O ex-procurador Deltan Dallagnol é um dos nomes cotados para assumir a vaga. Filiado ao Podemos desde dezembro e recebendo salário de 15 mil, Deltan também deve concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados.

Ana Flávia Gussen
Repórter da revista CartaCapital

Tags: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.