Moro diz que motim é ilegal, mas que policial não pode ser tratado como bandido

'O que o policial quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas, de fato, essa paralisação é ilegal. É proibida pela Constituição', diz Moro

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública - Foto: Reprodução/YouTube

Sergio Moro, ministro da Justiça e Segurança Pública - Foto: Reprodução/YouTube

Política

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, se pronunciou neste sábado 29 a respeito da greve de policiais militares no Ceará. Para ele, o motim é ilegal, mas os PMs não podem ser tratados como criminosos. Há mais de 10 dias, parte dos policiais cearenses estão parados, o que levou ao aumento da criminalidade no estado.

“O governo federal vê com preocupação a paralisação, que é ilegal, da Polícia Militar do estado. Claro que o policial tem que ser valorizado, claro que o policial não pode ser tratado de maneira nenhuma como um criminoso”, afirmou Moro durante o 6º encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), em Foz do Iguaçu-PR.

“O que ele [policial] quer é cumprir a lei e não violar a lei, mas, de fato, essa paralisação é ilegal. É proibida pela Constituição”, completou o ex-juiz. Além da Constituição, o Superior Tribunal Federal (STF) também já demonstrou este mesmo entendimento em 2017.

 

 

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Post Tags
Compartilhar postagem