Moraes derruba sigilo do inquérito sobre atuação de Salles em favor de madereiras

O ministro tornou o material público, pois parte da documentação já havia sido divulgada na semana passada

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Política

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), derrubou nesta quarta-feira, 26, o sigilo da investigação da Polícia Federal sobre a participação de agentes públicos na exportação ilegal de madeira, que atinge o ministro do meio Ambiente, Ricardo Salles.

 

 

São quase 500 páginas, entre relatórios e representações policiais, decisões judiciais e termos de depoimento. No despacho que tornou o material público, Moraes afirma que parte da documentação já havia sido divulgada na semana passada com a abertura da Operação Akuanduba, que fez buscas contra Salles e afastou o presidente do Ibama, Eduardo Bim, por 90 dias.

“É certo que o objeto da investigação conduzida nestes autos é de conhecimento público, circunstância que, neste caso específico, reforça a necessidade do levantamento parcial do sigilo”, escreveu o ministro.

Entre o material tornado público está a representação da PF que acusou ‘fortes indícios’ de envolvimento de Salles em irregularidades e apontou operações financeiras ‘suspeitas’ do ministro do Meio Ambiente.

No mesmo documento, a Polícia Federal também cravou que as provas reunidas na investigação já são suficientes para enquadrar Eduardo Bim pelos crimes de facilitação ao contrabando e advocacia administrativa.

Salles nega irregularidades e diz que Moraes foi ‘induzido ao erro’ ao autorizar a operação, classificada por ele como ‘exagerada’ e ‘desnecessária’. O Ibama, por sua vez, diz que o inquérito é uma ‘farsa’ e que o delegado Franco Perazzoni, responsável pelo caso, dirigiu depoimentos de servidores ‘engajados politicamente’ e ‘forjou uma falsa narrativa’.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem