Ministra da Agricultura se reúne com árabes para tentar conter crise

O encontro é uma tentativa de desfazer o mal-estar em torno da instalação do escritório de negócios do Brasil em Jerusalém

Ministra da Agricultura se reúne com árabes para tentar conter crise

Política

Na tentativa de manter uma boa relação com os árabes, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse que na próxima semana vai se reunir com 51 embaixadores representantes desses países. O encontro é uma tentativa de desfazer o mal-estar em torno da instalação do escritório de negócios do Brasil em Jerusalém, conforme anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro.

“Na agricultura, temos um país que produz muito, o Brasil, e um mercado em que existe uma confiança entre a agricultura brasileira e os consumidores dos países islâmicos. E nós vamos continuar perseguindo esse bom entendimento”, disse a ministra.

Jair Bolsonaro em visita à Jerusalém acompanhado do premiê de Israel, Benjamin Netanyahu

O Brasil é o maior exportador de proteína halal do mundo, por meio da técnica usada no abate de animais que passa pelos preceitos da religião muçulmana. Os animais são abatidos sem sofrimento, os frigoríficos certificados estão voltados para Meca e quem realiza o trabalho deve ser necessariamente seguidor do islamismo.

Tereza Cristina acrescentou: “Esse bom relacionamento com os árabes, com os muçulmanos, com quem gostamos muito de ter relações comerciais, no Ministério da Agricultura e com os produtos da agropecuária brasileira”. A declaração deu a entender que a ministra manteria os esforços para aumentar as parcerias com os países árabes.

Escritório

Para a ministra, a instalação de um escritório de negócios em Jerusalém é um meio-termo, em vez de uma embaixada. Segundo ela, há um descontentamento dos países árabes em relação a este assunto, mas disse que o Ministério da Agricultura tem de continuar trabalhando para manter o diálogo.

“A gente tem de estar preparado para tudo. Acho que o escritório de negócios é um meio-termo, não é a embaixada lá. A gente sabe do ânimo que existe na região, mas o Brasil é um país amigo de todos os países, e na área comercial temos um peso muito grande no mundo árabe, no mundo islâmico”, afirmou.

Tereza Cristina afirmou que o diálogo será mantido. “É claro que há um descontentamento. Mas, nós da Agricultura, temos de trabalhar pela agricultura. Esses problemas de geopolítica são para o presidente da República, para o chanceler”, disse. “Vamos conversar, ouvir, e continuar com essa abertura de diálogo que o Ministério da Agricultura sempre teve com esses países, que são compradores da produção brasileira.”

A ministra continuou dizendo que “no que depender de mim como ministra e do setor produtivo, que apoia o relacionamento, vamos continuar fazendo com que cresça essa cooperação comercial entre os países do mundo árabe e o Brasil e fique cada vez mais robusta.”

Com informações da Agência Brasil

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem