Política

Militares sugerem ameaça da China ao Brasil via Guiana e insistem na conspiração do ‘globalismo’

As ‘previsões’ constam do ‘Projeto de Nação’, criação dos institutos Villas Bôas, Sagres e Federalista

O general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército. Foto: Evaristo Sá/AFP
O general Eduardo Villas Bôas, ex-comandante do Exército. Foto: Evaristo Sá/AFP
Apoie Siga-nos no

O Projeto de Nação: O Brasil em 2035, criação dos institutos Villas Bôas, Sagres e Federalista, planeja a manutenção do bolsonarismo no País até 2035 e uma série de retrocessos, como a obrigação de a classe média pagar mensalidades em universidades públicas e pelo atendimento no Sistema Único de Saúde.

O vice-presidente Hamilton Mourão participou da apresentação do “projeto”, que não hesita em dar palpites geopolíticos.

Em uma seção dedicada a um suposto relatório de conjuntura datado de setembro de 2035, os militares mencionam conflitos entre Estados Unidos e aliados, de um lado, e China e Rússia, de outro, “tendo como palco a Guiana e sua produção de ouro e, especialmente, de bauxita”.

A essa altura, prosseguem os militares, “a potência oriental (China) adquiriu vastas áreas de mineração da Guiana e iniciou um processo acelerado de produção predatória para o meio ambiente, com vistas a atingir a liderança do mercado mundial, dominado pela Austrália”.

No mesmo capítulo, retomam as alegações conspiracionistas sobre o que chamam de “globalismo”, tema recorrente em confabulações bolsonaristas.

Os militares argumentam, por exemplo, ser “visível a união de esforços entre determinadas entidades nacionais e o movimento globalista, inclusive com o apoio de relevantes atores internacionais”. Afirmam ainda que “o globalismo tem outra face, mais sofisticada, que pode ser caracterizada como ‘o ativismo judicial político-partidário’, onde (sic) parcela do Judiciário, do Ministério Público e da Defensoria Pública”.

Guiana faz fronteira com o Brasil ao norte de Roraima. A cidade de Bonfim, no lado brasileiro, é considerada porta de entrada terrestre para Lethem, município guianense.

CartaCapital
Há 27 anos, a principal referência em jornalismo progressista no Brasil.

Tags: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.