Política

MBL vê novatos e ex-integrantes fracassarem nas urnas e elege apenas dois candidatos

Ao todo, movimento lançou seis candidaturas, sendo cinco novatos e o deputado federal Kim Kataguiri (UB)

Foto: Divulgação/MBL
Apoie Siga-nos no

Principal movimento da direita brasileira, o Movimento Brasil Livre (MBL) lançou seis candidaturas à disputa das eleições de 2022 e elegeu apenas dois. Outros dois ex-integrantes do grupo também fracassaram nas urnas.

Entre os seis candidatos do MBL, apenas o deputado federal Kim Kataguiri (UB-SP) já havia disputado outra eleição. Os demais, são todos novatos. O parlamentar conseguiu se reeleger com 295.460 votos, a oitava melhor votação em São Paulo.

Entre os novatos, foram quatro derrotas. O revés nas urnas expõe o equívoco do método de campanha do partido, que se resumiu ao investimento de propaganda nas redes sociais, com vídeos protagonizados por candidatos estridentes, tentando provocar conflito e violência com adversários políticos do movimento.

Dos novatos do MBL que saem da eleição com uma coleção de Boletins de Ocorrência e algumas trocas de sopapos, mas sem cargos, apenas um disputou uma cadeira na Câmara dos Deputados, é Cristiano Beraldo (UB), que teve 43.460 votos.

Outros três candidatos lançados neste ano concorreram por vagas nas assembleias legislativas e não conseguiram se eleger. Em São Paulo, Amanda Vettorazo (UB) e Renato Battista (UB), ex-chefe de gabinete de Arthur do Val, ex-deputado estadual que foi cassado pela Alesp, foram derrotados nas urnas, com 54.720 e 54.551 votos, respectivamente. No Paraná, João Bettega (Novo), somou apenas 27.256.

O quinto novato é Guto Zacarias (UB), que teve 152.481 votos e conseguiu se eleger para deputado estadual em São Paulo. A principal bandeira apresentada pelo integrante do MBL, que é negro, durante a campanha era a luta contra as cotas raciais nas universidades e no serviço público.

Essa pauta era encampada por um ex-integrante e fundador do MBL, Fernando Holiday (Novo), que rompeu com o movimento em 2021 e que não conseguiu se eleger para uma das 70 vagas de São Paulo na Câmara dos Deputados. Ele somou apenas 38.118 votos.

O mesmo destino teve Lucas Pavanato (Novo), aliado de Holiday e também ex-integrante do MBL. O candidato tentou uma vaga na Alesp, mas com 36.258, acabou derrotado.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo