Política

Macron diz que acordo UE-Mercosul é ‘muito ruim’ e propõe fazer ‘um novo’

Macron participou do Fórum Econômico Brasil-França, que está sendo realizado na Fiesp

Presidente da França Emmanuel Macron. Foto: Miguel Schincariol/AFP
Apoie Siga-nos no

Em seu segundo dia de agenda no Brasil, o presidente da França Emmanuel Macron criticou nesta quarta-feira 27 o acordo que está sendo costurado entre os países do Mercosul e a União Europeia. O presidente francês disse que o texto é “muito ruim” e propôs fazer “um novo”.

O acordo “tal como é negociado atualmente é um acordo muito ruim para vocês e para nós”, disse Macron em São Paulo. “Façamos um novo acordo (…), que seja responsável de um ponto de vista de desenvolvimento, de clima e de biodiversidade”, afirmou.

Macron participou do Fórum Econômico Brasil-França, que está sendo realizado na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na capital paulista.

A França é a principal opositora do acordo entre os dois blocos. Além das declarações de Macron, primeiro-ministro francês disse na terça-feira 26 que o país é contra a assinatura do tratado.

O projeto de pacto, cujas negociações começaram em 1999, prevê eliminar a maioria das tarifas entre as duas zonas criando um espaço comercial de mais de 700 milhões de consumidores.

Após um acordo político em 2019, a oposição de vários países, incluindo a França, bloqueou sua adoção definitiva, uma rejeição que se fortaleceu com a crise agrícola que atinge a Europa. Outros países como Alemanha e Espanha defendem sua adoção.

Para o acordo ser celebrado, é necessária a assinatura de todos os 27 países membros da União Europeia e de Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai, membros do Mercosul.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo