Lula: se for necessário, serei candidato para ganhar do genocida Bolsonaro

Em entrevista, ex-presidente comentou a decisão do STF de anular as suas condenações: 'O juiz mentiu e os procuradores mentiram'

Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP

Foto: Miguel SCHINCARIOL / AFP

Política

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou que irá se candidatar nas eleições presidenciais de 2022 “se for necessário”, depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou a anulação das condenações de corrupção contra ele.

“Se for necessário”, serei candidato, para ganhar as eleições de “um fascista que se chama Bolsonaro, um genocida, por ser o maior responsável pelo caos na pandemia”, indicou na noite de quinta-feira 15, em entrevista ao canal de TV argentino C5N. Ele assinalou, no entanto, que “não necessariamente” será o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT).

 

 

“Tenho boa saúde, mas não tem, obrigatoriamente, que ser eu. Podemos escolher alguém que possa representar os setores progressistas do Brasil”, disse o ex-presidente, 75, pouco depois que oito dos 11 juízes do STF apoiaram a decisão tomada no mês passado pelo ministro Edson Fachin, que determinou que o tribunal de Curitiba que condenou Lula por duas causas não tinha competência para tal.

“Foi uma mentira muito grande, mas meus advogados provaram que era uma farsa. O juiz mentiu, os procuradores mentiram, a Polícia Federal mentiu, porque tinham que me tirar da disputa eleitoral. Mas estou pronto para a briga”, afirmou Lula.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem